Pré-vestibulares à distância aliam flexibilidade de horários a preços baixos

O GLOBO • 11 de novembro de 2019

Estudantes usam a educação à distância para conquistar a aprovação no vestibular. Foto: Brenno Carvalho / Agência O Globo

Já uma realidade no ensino superior , a educação à distância ganha cada vez mais espaço nos cursos preparatórios para o vestibular e o Enem . Atraídos pelos horários flexíveis e pelos preços mais baixos, os candidatos têm feito das aulas à distância uma forma de encurtar o caminho em direção ao diploma universitário. É esse o caso de Vitória Soledade, candidata ao curso de Psicologia.

Antes de se matricular em um pré-vestibular, a estudante de 20 anos esbarrava em uma questão incômoda. Moradora de Nova Russas, cidade que fica a 400 quilômetros de Fortaleza (CE), Soledade tinha dificuldade em encontrar cursinhos de qualidade que coubessem em seu orçamento. Por sugestão de um amigo, decidiu apostar nas aulas pela internet, e não se arrepende da escolha.

Às vésperas da segunda prova do Enem, neste domingo, a estudante diz estar preparada.

— Recebi apoio e motivação de professores excelentes que praticamente pegaram na minha mão — diz a jovem, que considera os valores acessíveis e a possibilidade de montar a grade de aulas dois diferenciais do ensino à distância.

Depois de ajudar a mãe pela manhã com os afazeres de casa, ela começa a estudar só na parte da tarde.

Evitar a procrastinação é um dos desafios para quem estuda em casa. Por isso, a jovem só começa os estudos com o celular desligado. Além disso, ela é adepta do método "pomodoro", técnica que consiste em dividir o trabalho em períodos de 25 minutos, alternando com momentos de descanso.

— É importante manter o foco sempre e tentar não pensar na pressão — diz ela, lembrando que, durante a preparação para o Enem, enfrentou crises de ansiedade. — Mas até nisso o site foi útil, porque existem aulas que nos ajudam a lidar com questões emocionais.

Poder pausar as aulas é outro benefício

Coordenador pedagógico do Descomplica, o pré-vestibular online em que Soledade se inscreveu, André Figueiro considera que o ensino à distância transformou o modo como os estudantes se preparam para o vestibular.

— Eles têm autonomia, podem fazer toda a organização de estudo e adequar a rotina para ter o controle de qual parte do dia conseguem estudar com mais foco — diz o profissional.

Para Thamiris Raposo, de 18 anos, um dos atrativos da educação à distância é justamente a liberdade de montar a grade horária. Assinante do site ProEnem, a estudante acrescenta que estudar pela internet traz outro benefício.

— A possibilidade de pausar as aulas me ajuda a fazer as anotações com calma ou parar o vídeo e retomar em outro momento — diz a jovem, que está pleiteando uma vaga no curso de Psicologia ou de Pedagogia.

Ela considera ainda que a maior dificuldade para quem estuda pela internet é a pressão de quem está ao redor do estudante.

— Às vezes, as pessoas não percebem que você está estudando e acabam interrompendo. Naquele momento, é como se você estivesse em uma aula presencial, não em uma aula online.

A vestibulanda explica ainda que a ausência física dos docentes foi aplacada por mentorias e pela possibilidade de enviar perguntas ao longo das aulas. Além disso, apesar de ter sentido falta da interação com colegas de classe, estudar em casa mostrou mais uma vantagem.

— Como não tinha outras pessoas, parecia uma aula particular, o que ajuda na concentração. É como se fosse só você e o professor.

Notícia publicada no site O GLOBO, em 08/11/2019, no endereço eletrônico: https://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/enem-e-vestibular/ead-parte-8-pre-vestibulares-distancia-aliam-flexibilidade-de-horarios-precos-baixos-24055785


Restrito - Copyright © Abrafi - Todos os direitos reservados