Nova York cria projeto de ensino ao ar livre para evitar contágios

R7 • 28 de agosto de 2020

Fonte da Notícia: R7

Data da Publicação original: 25/08/2020

Publicado Originalmente em: https://noticias.r7.com/internacional/nova-york-cria-projeto-de-ensino-ao-ar-livre-para-evitar-contagios-25082020

Íntegra da notícia abaixo:

Prefeito Bill de Blasio anunciou projeto de aulas ao ar livre para escolas públicas e privadas

A cidade de Nova York apresentou nesta segunda-feira (24) um programa que vai permitir que algumas escolas dêem aulas ao ar livre no retorno às aulas, a maioria prevista para o dia 10 de setembro, após o intervalo devido à crise da covid-19.

O programa permitirá que as escolas dêem aulas em seus playgrounds, em ruas adjacentes e em parques próximos.

Segundo o prefeito Bill de Blasio, que fez o anúncio com o ministro da Educação, Richard Carranza, este plano está aberto a todas as escolas públicas, charter e privadas, bem como a alunos com deficiência do plano conhecido como "Pontes de Aprendizagem"

O programa priorizará escolas nos bairros mais atingidos pela pandemia, sem espaço ao ar livre em seus edifícios e inclui centros em todos os condados.

Os diretores das escolas podem solicitar a participação neste programa a partir de hoje para aprender em parques ou ruas adjacentes.

"Cidade segura"

O prefeito lembrou que a cidade só abrirá escolas se o índice de transmissão do vírus (número de exames positivos sobre o total) ficar abaixo de 3%, padrão mais rígido que os 5% estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde e o estado de Nova York.

A Big Apple tem uma taxa inferior a 1% há algum tempo, apesar do aumento de casos em outras áreas do país.

"Nova York é a cidade grande mais segura da América", disse De Blasio, em uma tentativa de tranquilizar pais e professores preocupados.

Ele ressaltou que, como parte do programa, as escolas que desejarem utilizar seus próprios pátios também deverão solicitar a notificação à Secretaria de Educação.

As propostas enviadas antes de sexta-feira, 28 de agosto, receberão respostas antes de 4 de setembro. Solicitações adicionais também podem ser enviadas continuamente.

"Minha mensagem para os pais e nossas comunidades escolares não poderia ser mais clara: estamos tomando todas as precauções possíveis para que nossos filhos voltem em segurança", insistiu De Blasio durante sua entrevista coletiva diária.

"O aprendizado ao ar livre dará a todas as nossas crianças a educação de qualidade que elas merecem em um ambiente seguro e socialmente distante", disse ele.

Pais e professores preocupados

O anúncio vem depois de sexta-feira passada o prefeito e o chefe da Educação darem mais detalhes sobre o plano de um retorno seguro, que chamaram de "Promessas de retorno às aulas", que enfrenta preocupação dos pais e rejeição do principal sindicato dos professores.

Como parte desse plano, os prédios serão desinfetados todas as noites, haverá desinfetante para as mãos em todas as salas de aula e equipamentos de proteção individual disponíveis em todos os momentos, o uso de máscaras o tempo todo e será necessário o distanciamento social.

Também foi prometido que as salas de aula que não têm ventilação adequada não serão utilizadas e que as áreas de alto contato serão limpas várias vezes ao dia, entre outras medidas.

De Blasio detalhou o plano em fases sob a ameaça de uma possível greve de professores se suas exigências não forem atendidas, que incluem que todos que entrarem em um prédio escolar em 10 de setembro sejam testados para covid-19 ou anticorpos.

O Departamento de Educação trabalhará para atender às solicitações das escolas o máximo possível, a menos que o acordo não seja viável ou seguro, disse Carranza.

Ele explicou que todas as solicitações serão analisadas por um comitê interagências formado pelos departamentos de Parques e Recreação, Transporte, Limpeza, Bombeiros e Polícia.

"Como professor e líder escolar, sempre soube como é importante passar o tempo fora de casa para as crianças e, à medida que nos aproximamos da reabertura, estou animado para levar o Aprendizado ao Ar Livre para as escolas da cidade. , mesmo aqueles que não têm pátio ", indicou Carranza.

Os Estados Unidos, o país mais afetado pela pandemia, registram mais de 5,7 milhões de casos confirmados e 176.000 mortes por coronavírus.

Apesar de Nova York não ser mais o estado com maior número de infecções, ainda é o mais atingido em termos de mortes nos Estados Unidos, com mais de 32.000.


Restrito - Copyright © Abrafi - Todos os direitos reservados