Servidores do Inep denunciam 'falta de comando técnico' no planejamento do Enem e 'clima de insegurança'

G1 • 05 de novembro de 2021

Fonte da Notícia: G1
Data da Publicação original: 04/11/2021
Publicado Originalmente em: https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2021/11/04/servidores-do-inep-denunciam-falta-de-comando-tecnico-no-planejamento-do-enem-e-clima-de-inseguranca.ghtml

Servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), denunciam o risco de prejuízos durante a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcada para o dia 21 de novembro. O motivo, segundo eles, é a "falta de comando técnico" da presidência do Inep.

Durante um ato, em frente ao prédio do instituto, em Brasília, na tarde desta quinta-feira (4), um grupo de funcionários denunciou que a atual gestão promove um "clima de insegurança e medo".

O g1 questionou o Inep, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.

De acordo com os relatos dos servidores, a aplicação das provas do Enem – marcadas para daqui a pouco mais de duas semanas – está sendo elaborada sem a atuação das Equipes de Incidentes e Resposta (ETIR), por decisão "arbitrária e unilateral" de pessoas com cargos de chefia, ligadas à presidência do instituto, comandada por Danilo Dupas.

O grupo que fez o protesto conta que os técnicos do Inep não estão sendo ouvidos. A Associação dos Servidores (Assinep) disse que vai enviar um relatório de denúncias sobre os problemas para os parlamentares federais.

Riscos para o Enem

As Equipes de Incidentes e Resposta, que em outras edições do Enem participaram do planejamento do exame, são responsáveis por articular estratégias em caso de imprevistos durante a avaliação.

"São grandes operações, com centenas de participantes, que demandam uma resposta rápida no dia da aplicação [da prova], para que você não prejudique o direito daquele participante", diz um servidor, que prefere não se identificar.

O funcionário, que atua no instituto há 14 anos, explica que é a ETIR que planeja, por exemplo, qual é a estratégia de ação caso falte energia elétrica em uma das unidades de aplicação a prova, ou algum acidente. "É uma operação centralizada, com comando e controle muito forte, e quem faz isso é essa equipe de tratamento de incidentes", diz o servidor.

"O presidente do Inep está desmontando essa estrutura e é essa a gravidade que tem feito com que vários servidores fiquem apavorados", diz um técnico do Instituto Anísio Teixeira.

Trocas de comando